Archives Julho 2017

A Minha Entrevista Com o Rui Gabriel – Fundador da Comunidade da Tribo

Apresento-vos o Fundador da Comunidade da Tribo – Rui Gabriel.

Conheci o Rui Gabriel pessoalmente em 2012, num evento em Lisboa.

Já o conhecia, de o ouvir, nas formações online. E de todos, o Rui era e é, a pessoa que mais gostava de ouvir.

Gostava e gosto imenso das suas formações pela forma como se expressa e pelo conteúdo de grande valor que nos passa, e, ensina a todos nós.

Ao longo destes 5 anos, sempre tive o seu apoio e ajuda incondicional.

Durante estes 5 anos, muita coisa aconteceu!

Hoje, estou na Tribo, à quase dois anos e sou Pioneira na Universidade da Tribo.

E, super feliz, por ter realizado um desejo meu, de ter o Rui Gabriel, como meu patrocinador.

Convidei o Rui Gabriel para uma entrevista, no qual aceitou prontamente.

Nela,  fala sobre a Comunidade da Tribo e sobre a Universidade.

Se fosse eu a ti, ia buscar um caderno, para, tirares alguns apontamentos.

Para saberes mais sobre e história pessoal, convido-te a veres a entrevista que fiz, à Melissa Gabriel, esposa do Rui.

Tem uma história, que te vai surpreender.


Artigo RelacionadoA MINHA ENTREVISTA À TRIBALISTA MELISSA MATOS GABRIEL


Na entrevista o Rui, fala sobre o curso “Vive da Tua Paixão” um curso que te ensina a transformar a tua paixão, num negócio de sucesso.

Clica na imagem, ou AQUI e cria a tua conta na Universidade, só depois podes comprar o curso.

Depois de o estudares, entra em contacto comigo, para podermos traçar o teu plano de ação.

Podes também Subscreve a Minha Newsletter para mais informações.

Muito grata por estares aqui!


A Minha Entrevista ao Tribalista João Wandschneider – Firewalking

Firewalking!!!??? O Que é Isso?

Firewalking é passar, descalço, por cima de brasas.

Conheci o João no evento da Tribo. o Rise, que aconteceu, na primavera da 2017.

E quando percebi que ia-mos ter uma situação dessas eu entrei em pânico e disse logo, que não.

E realmente, toda a gente passou por cima das brasas menos eu.

Mas o facto de não ter tido a coragem, fez-me perceber que tenho um bloqueio em relação à dor.

Este foi um momento muito importante para mim. Foi um momento “ahá”, para mim muito importante.

Ora, vejam como foi o firewalking no Evento Rise.

Agora vamos conhecer o protagonista deste evento dentro do nosso evento da tribo.

Vejam a entrevista que fiz ao Tribalista João Wandschneider e conheçam a sua história.

Gostavas de experimentar, andar, por cima de brasas?

Entra em contato com o João através do seu blog,  AQUI!

Percebes-te que o João está a viver da sua paixão?

Queres aprender a viver da tua paixão?

Entra na Universidade e compra o Curso Viver da Tua Paixão, AQUI.

Este curso é um Guia passo-a-passo para transformares a tua paixão na tua forma de vida.

Subscreve a Minha Newsletter AQUI para mais informações.

 

Muito grata por estares aqui!

Ju Faria


A Minha Entrevista ao Tribalista António Coelho

Mais uma Entrevista a um Tribalista

António Coelho um tribalista que encontro na internet a solução para encontrar o seu caminho.

Será que ele o vai encontrar…

Vê a Entrevista!

Mas um história, um testemunho de que a internet é um caminho.

E tem sido um caminho de muito sucesso para muitas pessoas.

O António, está em busca do seu caminho de sucesso com a ajuda da Tribo.

E tu, qual é, o teu caminho para o sucesso?

Qual é a tua paixão?

Seja qual for! Posso te ajudar!

Subscreve a Minha Newsletter AQUI para mais informações.

Ou entra em contacto comigo, elo skype ou email.


A História do Alexandre, o Grande e o Eremita

Encontrei esta história, num pequeno livro de compilações, que tenho em casa.

Gostei imenso da mensagem e resolvi partilha-la contigo.

“Alexandre, o Grande, atingira o auge da glória.

Rei da Macedónia, submetera os gregos e vencera os persas, dobrara o Egipto, transpusera o Eufrates, atravessara o Tigre e chegara ao indo, tomara Persépolis e a Babilónia, sem nunca enfraquecer nem submeter-se.

A sua reputação estendia-se do Oriente ao Ocidente, mundos do seu duplo poder.

As suas legiões, haviam enfrentado e vencido muitos povos, a a sua omnipotência estava solidamente estabelecida na Terra.

Ele conhecer tudo: das maiores vitórias , ás imensas riquezas.

E como fora aluno de Aristóteles, estava impregnado de educação e inteligência.

Um dia, numa das suas marchas, atingiu o pôr-do-sol, parou e montou acampamento.

De seguida, pediu então que chamassem um sábio para o instruir ainda mais.

Mandou procurar um mestre que pudesse transmitir-lhe o conhecimento que ele, embora imperador, ainda não possuía.

Pois era só com saber que ele poderia continuar a ser Alexandre, o Grande.

Alguns dos seus homens, indicaram-lhe um mestre de sabedoria superior, um eremita que vivia nos confins das falésias.

Outros afirmavam que ele era louco.

Alexandra, que só acreditava nas suas obras, quis tirar as suas próprias conclusões e mandou chama-lo.

Mas o eremita não pretendia sair da sua gruta.

O mensageiro insistiu, chegou mesmo a ameaça-lo, lembrando que o grande Alexandre tinha o poder supremo, pois era rei dos dois mundos

O sábio, porém não se impressionou, e respondeu que não precisava de obedecer àquele imperador do qual não dependia, acrescentado ainda que ele era o senhor daquele de quem o rei Alexandre era servidor.

E como ele era o senhor, não pretendia ser incomodado por um servidor.

Quando o Rei Alexandre ouviu tais palavras reproduzidas pelo mensageiro, ficou deveras enfurecido, e achou que o homem era no mínimo louco ou ignorante.

Como ousava dizer que ele era servidor e recusar-se a falar com ele, que era amigo de Deus?

Ninguém jamais tivera a insolência de chamá-lo servidor.

Nenhum poderoso, rei ou sultão, nem mesmo um simples súbdito tivera a inconsciência de tratá-lo daquele modo!

O sábio, porém, ousou replica

-Ilustre Majestade, Imperador supremo, correste os dois mundos em busca da imortalidade por causa de um desejo violento, do qual te tornas-te escravo, servidor.

Com todos as tuas legiões e os teus exércitos valentes, venceste todos os continentes por desejo de poder e por cupidez.

Agora queres também encontrar a fonte da vida.

O teu coração só se satisfaz com a cupidez e o desejo: não passas de um servidor, pois temes perder a vida e os teus tesouros.

Mas, para ganhar os mistérios da vida, os bens materiais não te servirão.

É o universo que precisas ganhar, mas, acima de tudo, o universo da alma.

Por fim, Alexandre, o Grande, entendeu então que o homem não era louco, que era sábio entre os sábios e imperador entre eles. E que tê-lo encontrado era, para Alexandre, naquela nova viagem, uma das suas maiores vitórias.”

” Farid al-Din `Attar”

Se não sabes o que quer dizer “cupidez” aqui está o significado:

Ambição, geralmente, por propriedades e/ou bens materiais; desejo excessivo por riquezas; ambição, cobiça: dominado pela cupidez, abandonou seus principais valores morais.

Gostas-te da história?

Para ti, qual é a mensagem?

Qual é a visão que tens desta história?

Quais são os teus valores morais?

O que é mais importante para ti?

Responde deixando as respostas num comentário, mais abaixo.

Se veres o que eu vejo e tiveres a mesma visão que eu e os mesmo valores.

Se calhar um dia, vens trabalhar comigo e descobres a liberdade.

Subscreve a Minha Newsletter para mais informações.

Muito grata por estares aqui!


Viver a 5 Minutos da Praia é Um Sonho Realizado

Estou Super Feliz Por Este Sonho Realizado

Quando morava na casa dos meus pais junto a Caldas da Rainha, para ir à praia tinha de fazer alguns quilómetros para lá chegar e depois perder tempo à procura de estacionamento.

Cheguei a deixar o carro na cidade e ir de autocarro. mas é mais cansativo.

Só quando, estava a morar nas Caldas e depois de ter a carta de condução é que começei a ir a praia.

Tive anos e anos sem ir. para meu grande desgosto.

Viver perto do mar e da praia era um grande sonho, mas que eu achava: – não digo impossível, mas dificílimo de realizar.

Por isso, nunca na minha vida pensei que um dia poderia MESMO viver perto do mar, da praia.

Durante o meu percurso de vida, descobri que não existem sonhos impossíveis.

Agora e já alguns aninhos moro em Oeiras e da minha casa vê-se o mar.

E esta é a “minha praia” e demoro cinco minutos a sair de casa de carro e estacionar.

Depois faço o meu percurso a pé, no passei marítimo, no qual adoro.

Também tenho a praia da Torre e a de Carcavelos.

Que também gosto muito.

Vou te explicar, a razão do qual para mim, morar ao pé da praia é importante.

Sofro de ansiedade e o ar do mar, transmite-me muita calma.

Faz-me muito bem fisicamente e psicologicamente.

Se toda a vida moras-te ao pé do mar, nem ligas.

Mas para mim e acredito que para muitas pessoas seja também um sonho por realizar.

E nisso Posso Te Ajudar!

Ajudar a realizar os teus sonhos, assim como estou a realizar os meus.

Para saberes como…

Subscreve aqui a Minha Newsletter

Muito grata por estares aqui!