Ju Faria

Consultora de Marketing Digital & Business Coach

Arquivo de etiquetas Percurso de Vida

PorJu Faria

O Difícil Percurso de Vida da Minha Amiga Silvia Barbosa

Testemunho de Um Percurso de Vida Muito Difícil

Neste artigo vais conhecer o difícil Percurso de Vida da minha amiga Silvia Barbosa. Nós já fizemos duas entrevistas, mas está é aquela em que a minha amiga se expõem, por sentir que chegou a altura de contar o seu difícil Percurso de Vida, juntamente com a sua filha mais velha, a Débora.

Conheci a Silvia, num dos eventos da tribo á cerca de dois anos e neste momento vive da sua paixão, dos seus projetos.

tos que estão a fazer a diferença na sua vida.

Neste artigo vamos conhecer um dos seus projetos:


Artigo Relacionado: Apresento-vos a Pedagogia A.M.A e a Terapia das Esferas de Silvia Barbosa


Vamos então conhecer o Percurso de Vida de Silvia Barbosa

Prepara-te para uma entrevista muito emotiva e com histórias e de superação fantásticas.

Resumo Inicial da Entrevista:

Eu: – Foi devido ao teu difícil percurso de vida que fez de ti a pessoas que és hoje, podes nos contar um bocadinho desse percurso?

Silvia: – Obrigada Ju, pelo convite. Tu sabes que houve ali um bocado de hesitação. Mas estou a vontade e é para mim um  privilégio. Como tu dizes e é verdade e acho que chegou o momento de falar um pouco sobre isso…

Para começar, com três meses de idade os meus pais deixaram-me aos cuidados da família. Este foi o primeiro momento de fragilidade, desde percurso como criança. O ter sido deixada tão pequenina pelos meus pais, ao cuidado de outros. Era o que eles podiam fazer, foi o melhor que poderão fazer por mim naquele momento. E esse percurso de vida entregue aos cuidados de família, até aos 9 anos, teve alguns traumas.

Com três anos de idade os meus pais, voltaram de Moçambique, eu nasci em Moçambique a minha mãe e de origem moçambicana. Regressaram para Portugal definitivamente e a minha mãe tento estabelecer os laços entre mãe e filha, ela não conseguiu…

Os meus pais, na altura tentar voltar a terem-me com eles, para que pudéssemos ser novamente uma família, mas as coisas não correram da melhor forma. O meu pai tinha medo de me deixar sozinha com a minha mãe. Eu comecei a escrever poesia aos 7 anos, porque realmente havia muita dor dentro de mim, coisas que eu não podia falar, que eu não podia expressar em palavras. Foi graças a essas dores a essas mágoas e essas feridas que eu comecei a abrir-me a um dos meus talentos. Aquilo que eu gosto tanto de fazer: que é escrever poesia.

As coisas que eu escrevia começou a chamar a atenção a minha professora e das pessoas que estava perto de mim. Era uma criança que gostava de estar no meu canto, junto as árvores, da natureza em silêncio. Interagia com outras crianças, mas tinha sempre tendência para me isolar.

Na minha infância tive muito traumas relacionadas com: agressão, abusos ao ponto de eu criança, pensar em suicídio… Posso dizer que a poesia salvou-me a vida…

Os meus pais separaram -se e fui viver com o meu pai aonde a mulher dele me batia, depois mais tarde, com 13 anos, fui viver com a minha mãe e entrei num processo de cura…. a poesia ajudou-me com a minha mãe, começamos a criar uma amizade muito bonita e a ficarmos muito amigas. Começou a haver uma cumplicidade muito grande entre nós, passei a ser o braço direto da minha mãe, andávamos na rua de mãos dadas, não era para as outras pessoas verem, mas o amor que nos liga, que nos uniu, foi tão grande. Veio de uma dor, é verdade. Fizemos o percurso de alguma dor, algum sofrimento,…

A minha mãe incentivou-me a fazer o que realmente eu queira e já fazia através da poesia, que era ajudar pessoas. Então comecei-me a preparar para me tornar Missionária e fiz isso dentro do meu próprio pais….

Estudava, tinha um trabalho em part-time aonde me dedicava a visitar pessoas e levar-lhes uma palavra de encorajamento. Encontrava muitas pessoas deprimidas, encontrava muitos idosos fragilizados em casa. visitava-os, confortava-os. Era esse o meu trabalho, levar uma mensagem de esperança e de amor ás pessoas…

Na minha adolescência, até aos 23 anos, na altura em que me casei, foram dedicados a ajudar o próximo…Descobri que era isso que me trazia alegria. percebi que não precisava de dinheiro para ser feliz, não precisava de nada, a unica coisa que precisava era de fazer o que mais gostava, que era ajudar pessoas. Havia muitas vezes em que andava com o carro na reserva, que só fazia uma refeição por dia e sentia-me a pessoa mais rica do mundo…

Tinha o suficiente para sobreviver, quando eu precisava o dinheiro aparecia, porque eu estava ao serviço e como estava a fazer o que era certo. Estava a dedicar-me a algo que eu sabia que era importante. Sabia que Deus só me podia ajudar.

Houve um momento da minha vida que me marcou. Que foi, quando fui convidada para participar num congresso em Valongo, aonde estavam milhares de pessoas e fui convidada para contar a minha história como pioneira, porque o trabalho que eu fazia: chamava-me pioneira regular…e foi um momento muito especial para mim…

(…)

Casei á moda antiga, de véu e grinalda, com aquelas ideias românticas, sempre fui romântica e ainda sou. Tinha muitas expetativas para o meu casamento e achava que ia ser muito feliz, que ia-mos viver felizes para sempre. Vivi toada a minha vida com a sensação que não saber o que era uma família e andei muito tempo á procura de um lugar, que pudesse chamar de lar, onde pudesse me sentir protegida. (…) CONTINUA NO VÍDEO

O percurso de vida da minha amiga, foi muito difícil, mas foi esse mesmo percurso que a transformou na pessoa maravilhosa que é hoje.

Vê toda a entrevista, não só vais conhecer a sua história, como também muitos ensinamentos, que podem te ajudar na tua vida.

Conhece também o projeto A.M.A onde a Silvia, está a ajudar muita gente.


Artigo Relacionado: Apresento-vos a Pedagogia A.M.A e a Terapia das Esferas de Silvia Barbosa


Se gostaste do artigo, deixa um cometário e partilha.

Muito grata por estares aqui.

Ju Faria

PS: Oferta do meu ebook

 

PorJu Faria

Percurso de Vida dos Tribalistas Isabel Queirós e Pedro Rugeroni

Mais Uma Entrevista Sobre o Percurso de Vida de Mais Dois Tribalistas

Desta vez é o percurso de vida do casal Isabel Queirós e Pedro Rugeroni.

E, como é de esperar, tive o privilégio de os conhecer na Aula Magna de Agosto de 2018.

Desde essa altura não deixaram de participar, nas aulas magna e foram também ao Revolution.

Entretanto, fizerem um bootcamp com o Rui Gabriel, fundador da Universidade da Tribo.

E como seria de esperar, convidei-os para uma entrevista, para passarmos a conhecer o seu percurso de vida, em que prontamente aceitaram.

São histórias de percursos diferentes, mas interessantes.

Percurso de Vida da Isabel e do Pedro

Resumo da Entrevista:

A Isabel começou a entrevista por se apresentar. Nasceu e foi criada na Porto. Está em Lisboa há 21 anos e reconhece que tem um lado de empreendedor muito elevado. Nunca se viu a trabalhar para outras pessoas e começou por ajudar os seus pais a abrir uma gelataria, mas por razões de alguma incompatibilidade, resolveu ir para Lisboa em função do amor e da relação que já tinha, como funcionaria, numa área que a apaixonava que era a de Sinistro Automóvel. Mas sempre com a ideia de colocar os seus talentos ao serviço de um bem maior…

Eu: – E tu Pedro?

Pedro: – A minha origem é bastante diferente. Nasci e cresci na zona de Cascais/Es toril. Tive uma infância bastante boa, feliz, em escolas boas, que os meus pais me proporcionaram. Tive a oportunidade de ir um ano para os estados Unidos, num intercâmbio de estudantes, para realizar o sonho que tinha, que era ser jogador de basquete. Mas depois aprendi outras coisas melhores como o contacto com as pessoas… Voltei e tentei jogar basquete profissional. Numa fase da minha vida o meu pai disse-me ou estudas e eu sustento-te ou jogas basquete e a porta é a serventia da rua. Decidi ir estudar e tirei o curso de gestão, trabalhei como alto executivo em varias empresas, até que cheguei á conclusão de que o dia não chegava, eram dez, depois doze, quatorze, porque havia sempre alguém que nos colocava objetivos cada vez mais desafiantes e nós claro: quem tinha objetivos tinha tudo, quem não tinha. não tinha nada. A vida dá muitas voltas e percebi que ou és tu que decides o teu futuro ou é alguém que decide por ti. Mas depois com a idade estás fora da produção das empresas, depois de ensinarem, darem formação, deitam fora.

E nessa perceptiva, abracei um projeto em que sempre me apaixonei, que abracei e conheci aos trinta anos, que foi o marketing de rede. No qual hoje em dia é uma filosofia maior, de comunidades conscientes de consumo e que no com o teu próprio consumo podes ganhar dinheiro…

A seguir faço a apresentação oficial do casal.

percurso de vida

Eu: – Quero vos perguntar, como encontram a tribo, porque vierem e porque fizerem o bootcamp com o Rui Gabriel?

Isabel: – A descoberta do Rui Gabriel foi uma casualidade, eu estava a consumir as informações que aparecem no facebook e aparece-me um post do Rui com uma comunicação ao qual eu estava conectada. Era sobre uma aula magna que se iria realizar em Agosto, e mediate o defici de valorização á parte das tecnologias, eu vi na comunicação do Rui, talvez a possibilidade de me poder interessar, dado que consideramos que este tipo de comunicação e a atividade que desenvolvemos deverá de ser como base na atração e não na perseguição de pessoas….

Pedro: – Por minha conta, quando a Isabel viu o posto de Rui, tive a posição do “pago para ver” , por que como é que uma pessoa que tem muito sucesso me marketing de rede. Dizia: -que actualmente não faço marketing de rede e ensino quem o faça. Pago para ver porque que tem sucesso, continua ligado ao marketing de rede. Tive a oportunidade de conhecer o Rui na aula magna e de lhe dizer que estava a ser uma boa experiência…

Isabel: – Isto foi o primeiro passo no contacto com o Rui Gabriel, que no fundo era o rosto de pessoas, de todo um grupo de sonhadores, e de pessoas que buscam no fundo uma forma diferente do que nós buscamos; que é portar o bem ao mundo de uma forma diferente, onde todos nós possamos ser mais felizes, cada um através do veiculo que optou por abraçar e por desenvolver. E foi exatamente na riqueza humana, que encontramos na aula magna, que por detrás tem um universidade virtual que é a Tribo, que é um centro aonde todos nós nos lincamos, onde podemos buscar aprendizagem, onde podemos partilhar a nossa humanidade a nossa experiência de vida e no fundo tornar a Tribo…. e tudo isso nos levou a fazer o bootcampo, onde fomos muito bem recebidos… Foi muito bom ter alguém que me ouviu, ter alguém com quem partilhar muitas crenças razões das quais vejo o mundo da maneira que vejo, poder superar-me nalgumas questões…

Pedro: – O boootcamp para mim, para nós foi sentir que fazemos parte de uma família, no qual nos acolheu muito bem e teve, digamos assim a paciência de ouvir o que nos frustrava e como poderíamos alinharmos toda a nossa sabedoria num projeto maior e de maior crescimento. acho que o exercício de construirmos uma visão, uma missão e os próprios valores, com que esses valores, missão, visão te vão fortalecer. E num ambiente em que estamos fora do nosso ambiente de conforto…

Eu: – Falem um bocadinho sobre o vosso projeto de marketing de rede.

….

Se gostavas de saber mais sobre o casal e qual é o seu projeto, vejam a entrevista na integra, por que ainda há muito para dizer.

Se gostavas de conhecer o meu percurso de vida, clica na imagem e recebe no teu email o meu ebook: “O Segredo do Meu Sucesso” – Uma História de Superação.

percurso de vida

Espero que gostes da nossa entrevista, assim como nós gostamos e se quiseres deixa um comentário, muito obrigada.

E como Consultora de Marketing e Business Coach, o meu trabalho é ajudar-te e ensinar-te a divulgar o teu negócio, ou a criar um de raiz.

Entra em contacto comigo e marca uma sessão.

Um Grande Abraço

Ju Faria